Firjan aponta caminho para o crescimento da Baixada Fluminense


BAIXADA FLUMINENSE- Empresários do Sistema Firjan, das cidades de Belford Roxo, Duque de Caxias, Guapimirim, Magé, Miguel Pereira, Paty do Alferes e São João de Meriti, apontaram a construção do Anel Viário de Campos Elíseos e a ampliação e a preservação das margens do Arco Metropolitano como alguns dos investimentos mais importantes para que os municípios da Baixada Fluminense voltem a crescer. Essas e outras propostas estão na Agenda Regional do Mapa do Desenvolvimento do Estado do Rio de Janeiro (2016-2025) – Baixada Fluminense Área II Duque de Caxias, apresentada ontem (8), na sede da federação no município.

O documento serve como bússola para a retomada do desenvolvimento sustentável do estado e do Brasil, instrumento de gestão pública e de debate para as próximas eleições municipais. O principal objetivo do Mapa é fazer do Rio de Janeiro o estado com melhor ambiente de negócios do Brasil, através da visão da indústria sobre os principais problemas do estado do Rio, e de suas regiões, norteando a estratégia de atuação do Sistema Firjan num horizonte de dez anos.
“O Mapa do Desenvolvimento, mais especificamente a Agenda Regional da Baixada, veio em um ótimo momento: eleições para prefeito. O documento será nosso aliado para que possamos pressionar o poder público por melhorias para a região”, explicou Roberto Leverone, presidente da Representação Regional Firjan/Cirj Baixada Fluminense Área II, em Duque de Caxias.
A versão estadual do documento foi entregue em maio pelo presidente do Sistema Firjan, Eduardo Eugenio Gouvêa Vieira, ao ministro da Fazenda, Henrique Meirelles e ao governador do Rio em exercício, Francisco Dornelles, no Rio de Janeiro.
Agora foi a vez de os pontos específicos da Baixada Fluminense serem detalhados. Entre as principais propostas estão a urgência na construção do Anel Viário de Campos Elíseos – conhecido como Arquinho –, que ligará o Polo Gás-químico ao Arco Metropolitano, um dos pontos que mais mobilizam os empresários regionais. “Essa questão é muito importante, não só do ponto de vista da melhora da logística, como da segurança”, ressaltou Leverone.
Outra questão levantada na Agenda Regional do Mapa é a necessidade de controlar o crescimento residencial e inibir a ocupação irregular no entorno de áreas industriais, principalmente do Arco Metropolitano. Os empresários ressaltaram a importância de a via expressa ser ampliada, incluindo o trecho de Magé a Itaboraí.

Criação, preservação e adequação de zonas industriais e empresariais

O documento também propõe a definição de áreas para atração e retenção de empresas, fundamental para que a região possa diversificar seu parque industrial e acelerar seu desenvolvimento. São propostas também a criação de condições para atrair novas empresas e fortalecer a rede de fornecedores daquelas já instaladas na região. Para que o investidor possa optar por se instalar na Baixada, é necessário que existam áreas que ofereçam a infraestrutura adequada, com acesso a energia, telefonia e banda larga com qualidade e baixo custo. Os empresários defendem também a universalização do abastecimento de água e rede de coleta de esgoto.
Outro ponto importante é que estas áreas sejam estruturadas de forma integrada em toda a região da Baixada Fluminense – Área II, garantindo a distribuição de investimentos por todos os municípios, conforme seu perfil, e promovendo o desenvolvimento mais equilibrado da região. Os empresários do Sistema Firjan reforçam a necessidade de controle do crescimento residencial próximo às áreas industriais e seus acessos. Para tanto, são propostas a criação de um Plano Diretor Regional de Desenvolvimento Integrado e de uma entidade consorciada para gerir o planejamento e as ações de impacto regional.
Para Carlos Alfano, gerente industrial da Braskem, presente também na construção do Mapa do Desenvolvimento, o documento reúne as principais questões que afetam a indústria e inibem o desenvolvimento da região como um todo. “A Agenda Regional do Mapa foi construída com a nossa ajuda, dos empresários, e baseada nas nossas reais necessidades. O desafio agora é tentar sensibilizar o governo para aderir às propostas e colocá-las em prática”, destacou Alfano.
No próximo dia 17, às 9h, será a vez de a Representação Regional Firjan/Cirj Baixada Fluminense Área I, no Bairro da Luz, em Nova Iguaçu, apresentar aos empresários os pontos específicos das demais cidades da Baixada.

Mapa do Desenvolvimento

Esta segunda edição do Mapa do Desenvolvimento foi construída por mais de mil empresários e envolveu os 92 municípios do estado do Rio. Além do documento estadual, foram desenvolvidas 10 Agendas Regionais que abordam e aprofundam questões específicas e refletem a visão dos empresários locais. As propostas foram extraídas de debates em todos os conselhos temáticos e regionais do Sistema Firjan e de respostas à pesquisa online com uma base ampliada da indústria. Em Duque de Caxias, os temas foram discutidos em uma reunião realizada em abril.
O Mapa conta com um modelo de gestão que possibilita o acompanhamento sistemático dos avanços e a realização de ajustes nas propostas e ações, por conta dos desafios que podem surgir ao longo dos anos. Todas as ações estão disponíveis para consulta em www.firjan.com.br/mapa.

Foto: Renata Mello
via: Jornal de hoje
09/08/2016