Justiça de olho nos fantasmas em Mesquita

MESQUITA- Uma ação popular na Vara Cível de Mesquita colocou em xeque a contratação da Cooperativa de Trabalho (Coopsege) pela prefeitura daquele município, que recebe um pouco mais de R$ 60 milhões ao ano. A juíza Alessandra Cristina Tufvesson Peixoto recebeu do governo lista com com 3.257 nomes de contratados, mas 535 não tinham CPFs e 83 eram duplicados.

A ação popular promete dar o que falar. A magistrada determinou busca e apreensão do processo administrativo que trata da contratação da Coopsege na prefeitura. Porém, o documento não foi localizado. Mas de cara a lista de funcionários enviada à Justiça, no mínimo cheia de ‘erros’, gera o prejuízo aos cofres públicos, que pode ser calculado por baixo em R$ 12 milhões.

Fonte: O dia
13/07/2016